segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Se Deus a amou primeiro, como não amá-la? 
Nossa Senhora Aparecida, 
seja nossa mãe intercessora todos os dias
e nos ensine a ter um coração puro como o seu.

Nunca saberemos qual a nossa verdadeira capacidade
até testa-la

Algumas coisas são incalculáveis, imensuráveis, impossíveis de apagar, de esquecer, de deixar de amar, de deixar de lembrar e almejar. E por mais que se passem 2 meses ou 10, 3 anos ou 5, a gente nunca vai esquecer, simplesmente por se tratar de algo especial. Um dia meu pai me disse que a gente tem que guardar o melhor das pessoas, ele disse que precisamos aprender a valorizar as qualidades e não os defeitos dos outros, pois defeitos todos nós temos e a vida seria triste se só houvessem olhos voltados ao nosso lado errante. A gente percebe isso quando perde algo ou alguém que amamos muito: a gente se dá conta o quão mesquinhos fomos por brigar determinado dia, por ter dito determinada palavra, por ter agido "assim ou assado". Pois é, a vida é assim: tem tesouros que encontramos e perdemos, nunca saberemos se vamos reencontrá-los; tem fantasmas do nosso passado que não dividimos nem com nós mesmos; tem escolhas que nunca vamos entender porque fizemos! O tempo vai passar e a gente vai aprender a lidar com tudo isso, mas apenas APRENDER A LIDAR, porque esquecer é algo fora de cogitação! Com certeza tem coisas ou pessoas que vamos esperar, com todas as esperanças e forças do mundo, que voltem a fazer parte da nossa vida. As orações nunca vão acabar, as lágrimas nunca secarão e a dor será comum, porque a vida é assim, esse constante aprendizado de pessoas imperfeitas. A gente erra, se arrepende, tenta melhorar e erra em outras coisas e o importante é nunca desistir de insistir em coisas boas, na mudança, no melhor!